Pular para o conteúdo

Técnica Super Slow para construir Musculos: O que é, Para que serve, e Benefícios

Compartilhe em suas redes sociais

Se você já se deparou com a técnica de treino de musculação conhecida como Super Slow, sabe que ela envolve a execução de movimentos de maneira deliberadamente lenta e controlada, aumentando tanto a tensão quanto o tempo sob carga. Neste guia abrangente, exploraremos a origem dessa técnica, seus benefícios e como você pode incorporá-la de forma eficaz à sua rotina de treinos.

A História por Trás da Técnica Super Slow

Desenvolvida na década de 80 pelo médico americano Ken Hutchins, a técnica Super Slow teve sua origem em estudos sobre os efeitos da musculação na prevenção da osteoporose. Hutchins notou que, ao reduzir a velocidade dos movimentos, não apenas os músculos eram mais intensamente estimulados, mas também havia uma redução significativa no risco de lesões.

A técnica Super Slow caracteriza-se pela execução de cada repetição em um período de 10 segundos, divididos em 5 segundos na fase concêntrica (quando o músculo se contrai) e 5 segundos na fase excêntrica (quando o músculo se alonga). Adicionalmente, não há pausas entre as repetições ou séries, mantendo o músculo sob tensão constante.

Benefícios da Técnica Super Slow

A implementação da técnica Super Slow pode proporcionar diversos benefícios, especialmente para aqueles que buscam hipertrofia, força e resistência muscular. Vamos explorar alguns desses benefícios:

1. Recrutamento Ampliado de Fibras Musculares

A técnica Super Slow favorece um maior recrutamento de fibras musculares, particularmente as do tipo 2. Essas fibras são responsáveis pela força e pelo crescimento muscular, resultando em ganhos mais expressivos.

2. Estímulo Intenso à Síntese Proteica

O processo de formação de novas fibras musculares, conhecido como síntese proteica, é acentuadamente estimulado pela técnica Super Slow. Isso contribui para o desenvolvimento muscular de maneira mais eficaz.

3. Aumento do Gasto Calórico

Ao manter o músculo contraído por períodos prolongados, a técnica Super Slow exige um maior consumo de energia. Isso resulta em um aumento do gasto calórico durante o treino, contribuindo para a queima de gordura e o condicionamento físico.

4. Menor Risco de Lesões

A redução da velocidade dos movimentos na técnica Super Slow minimiza o impacto nas articulações e tendões, reduzindo assim o risco de lesões. Isso torna a técnica mais segura, especialmente para aqueles propensos a problemas articulares.

5. Aprimoramento do Controle Corporal

A execução lenta e controlada dos movimentos na técnica Super Slow exige um maior controle e consciência corporal. Manter a postura e a respiração adequadas durante todo o movimento é essencial, contribuindo para um treino mais eficaz.

Como Aplicar a Técnica Super Slow na Sua Rotina de Treinos

Embora a técnica Super Slow possa ser incorporada a praticamente qualquer exercício de musculação, é essencial seguir algumas recomendações para otimizar os resultados. Aqui estão algumas orientações práticas:

1. Ajuste da Carga

Utilize uma carga inferior àquela que você usaria em uma abordagem convencional, pois a técnica Super Slow demanda mais esforço muscular. Uma boa referência é empregar cerca de 50% da carga máxima levantada em uma repetição tradicional.

2. Controle do Volume de Treino

Realize menos repetições e séries do que o habitual, pois a técnica intensifica o volume de treino. Recomenda-se entre 4 e 6 repetições por série e de 1 a 3 séries por exercício.

3. Execução Precisa dos Movimentos

Execute os movimentos com precisão e sem recorrer ao impulso. Mantenha a contração muscular ao longo de todo o movimento, evitando balançar o corpo ou utilizar a inércia para facilitar o movimento.

4. Intervalos de Descanso Adequados

A técnica Super Slow vem se destacando como uma das mais inovadoras abordagens em treinamento de força e condicionamento físico. Esta técnica consiste na execução de movimentos de maneira extremamente lenta, o que aumenta a tensão no músculo, resultando em um trabalho muscular mais profundo e intenso. Pesquisas indicam que essa abordagem pode maximizar a estimulação das fibras musculares, levando a melhorias significativas em termos de hipertrofia, força e resistência muscular.

É importante mencionar que a técnica Super Slow não é apenas para atletas de elite ou culturistas profissionais. Ela é adaptável e pode ser benéfica para praticantes de musculação de todos os níveis. Ao desacelerar os movimentos, os praticantes podem experimentar uma nova forma de estresse muscular que desafia o corpo de maneira diferenciada, promovendo adaptações positivas.

No entanto, devido à sua intensidade, essa técnica impõe uma carga maior sobre os músculos e o sistema neuromuscular como um todo. Portanto, o respeito aos intervalos de descanso se torna ainda mais crítico. Garantir tempo suficiente para recuperação entre as sessões de treino é essencial para permitir que os músculos se reparem e se fortaleçam. A recomendação de um intervalo de descanso de pelo menos 48 horas entre os treinos do mesmo grupo muscular deve ser considerada um componente fundamental do programa de treino Super Slow.

A implementação da técnica Super Slow em sua rotina de exercícios deve ser feita de maneira progressiva. Iniciar com cargas mais leves e volume de treino moderado é uma boa prática para que o corpo se acostume com as demandas específicas desse método. A medida que o praticante se adapta, aumentos graduais na carga e no volume do treino podem ser introduzidos.

Além disso, o acompanhamento de um profissional de educação física é altamente recomendável. Um treinador qualificado pode oferecer orientações personalizadas, ajustar adequadamente as variáveis de treino e assegurar que a técnica esteja sendo aplicada corretamente. As instruções de um profissional também são fundamentais para evitar erros de execução que podem levar a lesões.

A técnica Super Slow é mais do que um método de treino; ela representa uma filosofia que enfatiza a qualidade e o controle em detrimento da quantidade e da velocidade. É um convite para que os praticantes se conectem mais profundamente com seus corpos, entendendo e sentindo cada movimento. Ao abraçar essa abordagem com mente aberta e determinação, os resultados podem ser surpreendentes tanto para o físico quanto para a mente.

Experimentar a técnica Super Slow pode ser o estímulo que faltava na sua rotina de treinos. Ao se comprometer com uma execução regrada e uma escuta ativa do seu próprio corpo, a jornada em direção ao fortalecimento e crescimento muscular pode se tornar uma experiência verdadeiramente transformadora e gratificante.

A Técnica Super Slow é útil para Hipertrofia Muscular? O que a ciência diz?

O método “super slow”, que se tornou popular na musculação desde os anos 80, continua sendo explorado por profissionais que o adaptam de formas variadas. Mas será que a execução lenta dos exercícios realmente leva a um aumento significativo na hipertrofia?

Entendendo o Treinamento Super Slow

O treinamento super slow consiste em realizar exercícios de maneira extremamente lenta, com cada fase do exercício, seja de elevação ou descida da carga, durando de 5 a 10 segundos. Alguns adeptos dessa técnica chegam a prolongar cada fase por mais de 15 segundos. A ideia é focar na contração muscular, independentemente da quantidade de carga, na esperança de recrutar mais fibras musculares e alcançar a falha muscular de forma segura, teoricamente levando a maiores ganhos em hipertrofia.

A Ciência por Trás do Super Slow

Embora a lógica do método super slow pareça sólida, estudos científicos que compararam sua eficácia com os treinos convencionais não confirmaram as expectativas. Na verdade, em alguns casos, o super slow se mostrou menos eficaz. A ativação muscular, essencial para o crescimento muscular, foi menor em repetições muito lentas, contradizendo a ideia de que mais fibras seriam ativadas. Pesquisas indicam que a execução controlada dos exercícios é importante, mas a sobrecarga muscular também é crucial para a hipertrofia.

A Aplicabilidade do Super Slow para Hipertrofia

O super slow pode ser útil em situações específicas, como no treinamento de músculos que requerem uma conexão mente-músculo mais forte, ou como uma opção para aqueles em recuperação de lesões, pois minimiza o impacto nas articulações.

Conclusão: Devo usar a técnica Super Slow?

Embora o super slow possa ser útil em determinados contextos, seu uso direto para a hipertrofia é limitado. Existem várias outras técnicas com maior suporte científico. É importante não confundir repetições lentas e controladas, que são benéficas para a hipertrofia, com o método super slow, que envolve uma execução extremamente lenta do exercício, muitas vezes estendendo cada fase por 10 segundos ou mais.

Para obter ganhos consistentes em hipertrofia, é fundamental escolher estratégias comprovadas e apoiadas por evidências científicas.

Refências:

  1. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22328004;
  2. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25756321;
  3. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25601394.

Equipe Shape Lendario

Uma equipe apaixonada por musculação. fisiculturismo, e treinar é claro! Acreditamos que através dos treinos, dieta e disciplina, vidas podem ser transformadas através de uma vida saudável.

Somos estudantes de Educação Fisíca por conta própria, sempre busque um profissional credenciado para buscar orientações mais assertivas para seu objetivo.


Compartilhe em suas redes sociais
0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Ação proibida!

Descubra mais sobre Shape Lendário

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading